Caminhada ao encontro da Ilha dos Negros: de Lisboa ao Sado

A Associação Batoto Yetu Portugal está a realizar, no próximo sábado, 21, uma visita-guiada e uma caminhada de 10 quilómetros ao longo do estuário do Sado, “em memória e tributo aos povos africanos que por lá passaram”. O programa, intitulado “Caminhada espiritual – Ilha dos Negros”, inicia às 15h30 e inclui viagem de autocarro a partir de Lisboa, e uma refeição. As inscrições estão abertas.

por Afrolink

O roteiro traçado pela Batoto Yetu Portugal para o próximo sábado, 21, reserva-nos uma caminhada pela região do Sado, “de forma espiritual como as primeiras migrações humanas também o foram”, num percurso demarcado pela forte presença de povos africanos. 

A viagem, denominada “Caminhada espiritual – Ilha dos Negros”, inicia-se em Lisboa, ao encontro de vestígios de um passado povoado por “tropas romanas compostas por africanos, mouros e seus califados africanos de Marrocos e região da Senegâmbia, e pessoas escravizadas da região da Guiné e Angola”. 

Dessa passagem, assinala a associação, resulta que o Sado e as suas aldeias “são das áreas que conservam na genética, gastronomia, arquitetura e toponímia, a memória da herança africana de vários estratos e condições sociais”. 

O legado, antecipa a Batoto Yetu, surge associado “maioritariamente ao cultivo do arroz, recolha do sal e trabalho no desmatamento da floresta”.

 A visita, numa extensão de 10 quilómetros, é ancorada nos livros técnicos promovidos pela associação e realizados por vários escritores e historiadores como António Chainho, e Isabel Castro Henriques.

A viagem custa 30 euros, com refeição incluída no final da caminhada, excepção feita para quem já tenha realizado visitas anteriores com a Batoto Yetu Portugal. 

Para garantirem lugar, podem efectuar o pagamento e enviar comprovativo por e-mail, para o IBAN da Associação Batoto Yetu Portugal: PT50 0033 0000 00046237854 35

O programa final será enviado aos inscritos. Até lá, podem consultar mais informações aqui.