Em destaque

O livro das “Histórias e Memórias de Mulheres de Cabo Verde em Portugal”

Diálogos

O ódio racial que matou Candé vai continuar a matar, enquanto…

O assassinato de Bruno Candé, cometido a 25 de Julho de 2020, foi motivado por ódio racial, considera o Ministério Público, no despacho de acusação.

Saiba mais

Últimos artigos

A nossa diversidade é um trunfo

Contra a extrema-direita, votar, votar!

Desenganemo-nos: isto não acontece só aos outros! Talvez muitos se tenham convencido de que Portugal – por um qualquer excepcionalismo – estaria a salvo de uma liderança populista de extrema-direita. Mas as últimas legislativas e a corrida para as presidenciais desfizeram essa ilusão. O país enfrenta uma séria ameaça ao seu património democrático, representada por André Ventura e pelo partido que dirige. Conforme lembrou o artista Bruno Huca, na música de intervenção “A neo-loja do mestre André”, corremos o risco de embarcar na “aventura de acordar em ditadura”, se continuarmos adormecidos à sombra das conquistas do passado. Por isso, se ainda não o fizemos, este é o momento de acordarmos. Amanhã, 24 de Janeiro, vamos todos votar em defesa da nossa democracia. Façamo-lo por nós, pelas nossas crianças e também pelos nossos ancestrais, conforme apela o músico Dino d’ Santiago. “Na cultura afro a nível global foi-nos durante muito tempo limitado o direito ao voto e foi muito sangue derramado para adquirirmos este direito. Sinto que não votar significa desonrar aqueles que perderam a vida para conseguirmos esse direito. É um direito e um dever que todo o cidadão tem”, lembrou Dino, um dos artistas que se juntaram à campanha “Vota”, lançada pela Solve Agency. Votemos!