Na vida de Fernando Cabral o reggae marca o ritmo – e o apelido a História

Descende de uma linhagem que marcou o curso da História africana, em particular da política da Guiné-Bissau. Mas é na música que Fernando Cabral – filho do ex-Presidente da República guineense, Luís Cabral, e sobrinho do eterno líder do PAIGC, Amílcar Cabral – imprime a sua assinatura profissional. Conhecê-la é encontrar um traço predominantemente reggae, firmado a partir de Bob Marley, e expandido em Nova Iorque, na editora n.º1 desse género, a nível mundial. Entretanto fixado em Portugal, junta ao percurso musical, a criação da marca de roupa VIP – Very Important Preto, lançada em Março deste ano, juntamente com um podcast semanal com o mesmo nome. Hoje é dia de sabermos mais, n’ O Lado Negro da Força.

Texto por Afrolink

Guiné-Bissau, Costa do Martim, Cabo Verde, França e Portugal…todos estes destinos marcam a rota de vida de Fernando Cabral, nascido em Bissau há 45 anos.

Filho do ex-Presidente da República guineense, Luís Cabral, e sobrinho do eterno líder do PAIGC, Amílcar Cabral, Fernando transporta com a sua história familiar capítulos decisivos para a História de África, e da Guiné-Bissau em particular.

Mas até que ponto essa poderosa herança política, enraizada nas lutas de libertação, influencia as páginas das sua vida?

Hoje é um bom dia para descobrirmos, com a presença de Fernando Cabral, na 72.ª emissão d’ O Lado Negro da Força.

Até lá, partilhamos algumas notas sobre o seu percurso, marcado pela paixão pela música, em especial pelo reggae, que se tornou a banda sonora da sua vida.

“Foi depois de ouvir o disco “Legend” de Bob Marley, que o amor pelo reggae se tornou mais notório”, lê-se na sua biografia.

A relação com o celebrizado ritmo jamaicano fortaleceu-se em Nova Iorque, com a entrada na VP Records, reconhecida como a editora n.º1 do género reggae a nível mundial.

Aí, o assumido melómano teve a oportunidade de trabalhar no departamento de promoção nas campanhas de lançamento de discos de grandes nomes e como Sean Paul, Capleton, Morgan Heritage, Freddie McGregor, Anthony B, Sizzla e Spragga Benz. 

Abrir espaço para o reggae em Portugal

A música continuou a marcar a sua passada no regresso a Portugal, primeiro como DJ residente em vários bares de Lisboa e arredores, como o 121 (Bairro Alto), Rustikafé (São Pedro de Sintra) e Clube Naval (Cais do Sodré).

“Foi durante este tempo [entre 2000 e 2003] que foi percebendo que não existiam nem concertos nem festas de reggae em Portugal, apesar de haver um público para isso”, vazio que decidiu preencher, conforme indica a sua biografia.

Dessa iniciativa nasceu a Positive Vibes, marca responsável pela vinda a Portugal, entre outros artistas, de Gentleman, Patrice, Alpha Blondy, Groundation, Dub Inc, e Steel Pulse.

Dentro da Positive Vibes, Fernando geriu um palco no festival Sudoeste até 2008, altura em que saiu da empresa e criou uma nova agência-produtora chamada Soundsgood.

Com este novo projecto, representou nomes como Dub Inc, Groundation, SOJA, Tiken jah Fakoly, Terrakota, Selah Sue, que são uma presença assídua nos Festivais Portugueses e salas de espectáculos como Coliseu dos Recreios, Sá da Bandeira e Sala TMN ao Vivo.

A especialização musical expressou-se também na antena da Rádio Radar de Lisboa (97.8 FM), onde, entre 2008 e 2011, teve uma rubrica diária intitulada Soundsgood.

Ao mesmo tempo, Fernando foi desenvolvendo parcerias com vários festivais nacionais, inclusive o MUSA Cascais, do qual é o programador desde 2010.

Mais recentemente, e já desvinculado da SoundsGood, criou a marca de roupa VIP – Very Important Preto, lançada em Março 2021, em conjunto com um podcast semanal com o mesmo nome.

Apesar da aposta numa nova área, amadurecida após um 2020 agonizante para o sector cultural, Fernando continua firme na música, representando, em Portugal, os DUB INC, Tiken Jah Fakoly, Protoje, Selah Sue e Anthony B.

Os bons ritmos continuam mais logo n’ O Lado Negro da Força.

Siga a conversa partir das 21h, em directo no Facebook e no YouTube.